DESTAQUES

Para a neurobiologia, somos adolescentes até chegar aos 30 anos

Marta Relvas 05/05/2017 SAÚDE E BEM-ESTAR
Para a neurobiologia, somos adolescentes até chegar aos 30 anos
Fonte: imagem Pixabay
Cuidado com os estereótipos construídos para os adolescentes

por Marta Relvas

“De maneira alguma a adolescência é uma simples época da vida.”
 Jean Erskine Steward.

Adolescentes ou aborrecentes? Seguindo uma análise de um contexto histórico: o termo adolescência é uma janela para a natureza do desenvolvimento do indivíduo para a vida adulta.

Cuidado com os estereótipos construídos para os adolescentes. Estereotipação é uma generalização que reflete impressões e crenças a respeito de uma categoria ampla de pessoas. Todos os estereótipos carregam uma imagem de como é um membro típico de um grupo específico. Depois de atribuído um estereótipo, é difícil abandoná-lo, mesmo diante de evidências contraditórias.

Por exemplo, dizer o seguinte sobre os adolescentes: Quer um emprego, mas não quer trabalhar. São todos preguiçosos e só pensam em sexo. O problema de hoje é que os adolescentes ganham tudo com muita facilidade. Eles são autocentrados.

Na verdade, durante a maior parte do século XX e o início do século XXI, os adolescentes têm sido retratados como anormais ou desviantes.

O cérebro do adolescente ainda não está totalmente desenvolvido nessa fase, pois a teia neuronal precisa ser fortalecida, e as conexões aumentam pelos processos da aprendizagem cognitiva, emocional e social.  Durante esta etapa da vida, o sistema nervoso passa por uma reorganização pela qual sofre perdas ou podas neurais e que, em alguns organismos, alcançam seu ápice de maturação.

O desenvolvimento cerebral tem dois grandes princípios: a produção de neurônios e conexões nervosas, e logo depois, o remodelamento do sistema nervoso central. Até a puberdade milhões de novas sinapses ocorrem e durante a adolescência alguns neurônios são desativados, sendo outros fortalecidos, podendo essa fase ser denominada de poda neural, ou seja, o que não é usado é descartado. Esse processo ocorre para que haja um refinamento das estruturas e funções cerebrais, podendo muitas vezes influenciar o comportamento juvenil.

No desenvolvimento embrionário o cérebro desenvolve-se de baixo para cima em camadas intrincadas de neurônios, e nas laterais da parte mais inferior para a superior fixando-se através da região denominada aderência intertalâmica, no corpo caloso, que une os hemisférios direito e esquerdo.  

Cérebro amadurece por volta dos 30 anos 

O córtex do lobo frontal é a última grande divisão do cérebro a “amadurecer” (por volta dos 30 anos) em estrutura, funções cognitivas e emocionais mais elaboradas ligadas a planejamento, representações mentais, raciocínio lógico e produção da fala. Ele também é responsável pela inibição de impulsos e utilização da aprendizagem do passado para aplicar em situações atuais ou criar estratégias futuras.

Dica:

A maturidade para vida adulta está relacionada não aos contextos sociais, psicológicos e emocionais, mas pelo fortalecimento do córtex pré-frontal. Então, pela neurobiologia, podemos nos considerar adolescentes até chegar aos trinta anos. Curta sua nova fase com muita responsabilidade!




TAGS :

    cérebro, adolescente, neurobiologia, neurociência

Marta Relvas

É Bióloga, Dra e Ms em Psicanálise, Neuroanatomista, Neurofisiologista, Psicopedagoga e Especialista em Bioética. Tem certificação internacional em Educação na Abordagem Reggio Emília na Itália e Title in Education Neurosciences and childhood and adolescence learning of Erasmus+ University – Europe – Portugal. É Membro Efetiva da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento, e da Associação Brasileira de Psicopedagogia. Autora de livros e DVDs sobre Neurociência e Educação pela Editora WAK e Editora Qualconsoante de Portugal. Professora Universitária da AVM Educacional / UCAM, UNESA - RJ e Professora Pesquisadora convidada no curso de Pós-graduação de Neurociência do IPUB/ UFRJ. Coordenadora do Programa de Pós-graduação de Neurociência Pedagógica na UCAM / AVM Educacional. Palestrante no Brasil e no exterior.



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.