DESTAQUES

Depois de iniciados, os relacionamentos nunca terminam

Saulo Fong 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
É possível fazer as pazes e conciliar-se com nossas imagens internas

por Saulo Fong

Parcerias, amizades, namoros e casamentos chegam ao fim. Porém, relacionamentos nunca mais terminam uma vez que são iniciados.

É muito comum certas pessoas generalizarem e associarem a palavra relacionamento como sinônimo principalmente de namoro ou casamento. Entretanto, essas palavras descrevem apenas modelos de relacionamentos afetivos que podem ser transformados com o tempo.

Primeiro, deixe me esclarecer o que quero dizer quando utilizo a palavra relacionamento.

Toda interação entre duas ou mais pessoas é um relacionamento. A diferença fundamental entre qualquer relacionamento é o grau de intimidade física, mental, emocional e energética entre as pessoas em questão.

No momento que iniciamos qualquer tipo de interação com uma pessoa, criamos em nossa mente uma representação interna dessa pessoa.

Essa representação poderá se transformar conforme conhecemos e nos relacionamos com ela. Porém, ela permanecerá em nossa mente por toda nossa vida. Não é possível esquecer, matar ou apagar da memória a representação interna de qualquer pessoa que conhecemos ou interagimos; apesar de algumas pessoas tentarem ou desejarem isso. A tentativa de se livrar dessa imagem apenas fará com que a sua influência se torne ainda mais inconsciente sobre nós.

Reconhecimento positivo

A outra opção é acolher e se harmonizar com essa imagem interna. Se a pessoa estiver viva e desejar também a conciliação, basta que resolvam a questão pessoalmente para modificar também a relação que você tem com a representação interna do outro. Saberemos se a conciliação foi efetiva, se nos sentirmos bem na presença de tal pessoa ou quando nos recordamos dela na memória.

Caso a pessoa não deseje a conciliação ou ela já não se encontre mais viva, ainda é possível fazer as pazes e conciliar-se com nossas imagens internas através do reconhecimento positivo do papel dessa pessoa em nossa história. O trabalho de constelações familiares pode ser um poderoso processo nessa situação.

 




Saulo Fong

Master Coach e Terapeuta Transpessoal do Instituto União em São Paulo. Especialista em integração mente-corpo, meditação e relacionamentos humanos.Trainer em PNL (Programação Neurolinguística) com formação em Hipnoterapia, Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais, Renascimento e Medicina Psicobiológica. É instrutor faixa-preta 3º Grau de Aikido e praticante de Kendo (2º Dan). Ministra cursos, treinamentos e workshops na área de desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e relacionamentos humanos. Mais informações: www.comomeditar.com.br



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.