DESTAQUES

Por que não sou chamada de volta após entrevista?

Roberto Santos 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Mercado ainda mostra sinais de preconceito com quem tem mais de 40

por Roberto Santos

"Estou com 46 anos, tenho boa experiência em recursos humanos e departamento pessoal. Sou graduada em Gestão de Pessoas e estou finalizando minha pós em MBA em Psicologia Organizacional. Desde que fui demitida e me cadastrei em empresas de recrutamento, tenho feito várias entrevistas, porém não sou chamada de volta. Estou preocupada e acho que é por causa de minha idade. Inclusive estou fazendo dieta e modernizando o meu visual para me mostrar fisicamente mais jovem. Não quero dizer assim que sou gorda, pelo contrário, me sinto eternamente jovem: faço musculação e me cuido muito."

Resposta: Já tive oportunidade de responder várias respostas sobre situações com a que você descreve de "encruzilhadas de carreira" - veja aqui.

Muitas dessas consultas têm a ver com sua preocupação com a idade e o momento de vida. Por um lado, você parece ter uma boa experiência e formação relativa à área de Recursos Humanos, mostrando que não se acomodou em sua carreira, apenas por ter um bom emprego. Profissionais que fazem isso logo criam "limo" em seus CVs e não rolam mais no mercado.

Por outro lado, encontramos um mercado superexigente, mas que inegavelmente ainda mostra sinais de preconceito com profissionais de mais de 40 anos.

Principais razões do preconceito com profissionais acima de 40 anos

1º) Podem haver dúvidas razoáveis quanto à capacidade do profissional (mesmo que mais jovem) se "amoldar" a novos processos e culturas organizacionais, por ter passado muito tempo na mesma empresa, fazendo a mesma coisa;

2º) Dependendo da estimativa de aposentadoria, pode haver uma restrição por contratar uma pessoa que não terá tantos anos de dedicação para a empresa que está recrutando;

3º) Finalmente, pode ser pura burrice do recrutador que não procura ir além da idade do CV para conhecer a pessoa.

Como resultado de atitudes como essas, há um impacto psicológico, como o provocado em você, de achar que precisa emagrecer e modernizar o visual, como se tivesse que compensar sua experiência, formação e os melhores anos que ainda pode dar de sua vida profissional para a empresa.

Porém, antes de perder seus quilinhos (o que é sempre saudável) para continuar sentindo-se "eternamente jovem", faça uma retrospectiva dessas entrevistas para avaliar suas reações durante a entrevista:

Avalie seu desempenho nas entrevistas

1º) Como abordou sua saída?

2º) Que "condições" colocou para atuar novamente na área, na empresa que está recrutando?

3º) O quanto mostrou-se aberta para aprender e conhecer uma nova cultura?

4º) Como cuidou da questão salarial para o caso de, eventualmente, ter que aceitar alguma redução na nova empresa, por estar com o salário anterior inflacionado?

Enfim, acho que antes de assumirmos o preconceito do mercado, precisamos avaliar nosso comportamento durante a entrevista.

 

 




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.