DESTAQUES

Preconceitos limitam nosso crescimento e nos impedem de viver novas experiências

Saulo Fong 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Para transcender um preconceito é necessário identificá-lo e assumi-lo

por Saulo Fong

Muitas de nossas interpretações sobre aquilo que acontece no momento presente são baseadas em experiências passadas e até mesmo em opiniões de terceiros.

Dependendo da forma de interpretar, criamos preconceitos e pré-julgamentos que podem limitar nossa experiência e aprendizado no decorrer de nossas vidas.

Aprender a observar sem analisar, sem se apegar a preconceitos, é o primeiro passo para poder aproveitar ao máximo cada experiência que a vida nos traz.

Livre-se de preconceitos em três passos

Primeiro passo

Para transcender um preconceito é necessário primeiro identificá-lo e assumir que ele existe. Um preconceito ou pré-julgamento de valor é uma generalização acompanhada de um adjetivo. Por exemplo: "Artes marciais são violentas". Fato é que o adjetivo "violento" nessa situação é baseado apenas na experiência do interlocutor.

Segundo passo

Em seguida, deve-se questionar o preconceito. Há várias formas de questionamento que podem ser utilizadas. No exemplo acima, podemos aprofundar o questionamento sendo ainda mais específicos.

Por exemplo: "Quais artes marciais estou me referindo especificamente?" ou "O que faz eu acreditar que determinada arte marcial seja violenta?"

Terceiro passo

Por fim, para superar um preconceito é preciso passar pela experiência.

Algumas pessoas não se permitem nem mesmo passar por certas experiências, que poderiam ser enriquecedoras, por causa de preconceitos. É claro que existem determinados tipos de experiência que comprovadamente podem causar dano físico ou mental, como por exemplo, o uso de drogas.

Entretanto, outras experiências mais comuns e enriquecedoras como a leitura de um livro, a participação em um curso ou a interação com uma pessoa às vezes não acontecem devido a um pré-julgamento pessoal. Transcender essa limitação exige apenas um passo a mais no desconhecido; e esse passo necessita de apenas um ingrediente: vontade.

Portanto, dá próxima vez que surgir uma oportunidade de crescimento e aprendizado em sua vida, seja ela no âmbito pessoal, profissional ou afetivo, experimente apenas se questionar: por que não? E parta para a ação.

 




Saulo Fong

Master Coach e Terapeuta Transpessoal do Instituto União em São Paulo. Especialista em integração mente-corpo, meditação e relacionamentos humanos.Trainer em PNL (Programação Neurolinguística) com formação em Hipnoterapia, Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais, Renascimento e Medicina Psicobiológica. É instrutor faixa-preta 3º Grau de Aikido e praticante de Kendo (2º Dan). Ministra cursos, treinamentos e workshops na área de desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e relacionamentos humanos. Mais informações: www.comomeditar.com.br



ENQUETE

Você se sente infeliz no trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.