DESTAQUES

Tenho pena de terminar com minha namorada porque ela tem câncer. O que fazer?

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Se resolver ficar, não fique apenas por pena

por Anette Lewin

"Namoro uma menina, ela simplesmente me ama muito, mais muito mesmo, não tem como descrever. Mas ao contrário, não gosto dela. Tenho medo de fazê-la sofrer, então decidi terminar. Mas quando tentei isso, ela me mostrou um exame que comprovou câncer no colo do útero e o caso dela é relativamente grave. Ela disse que caso eu termine ela, que ela não vai agüentar tudo sozinha. Não sei o que fazer, sinto muita pena dela e gostaria de ajudá-la"

Resposta: Você me parece uma pessoa sensível que está na dúvida se deve olhar primeiro para os seus sentimentos ou para os sentimentos de sua namorada. Talvez sua questão seja mais de ordem moral do que propriamente afetiva.

Vamos por partes. Em primeiro lugar você deve decidir se realmente está claro que para você que o namoro não faz mais sentido. Questione-se quando percebeu isso e, se alguma vez, gostou dela de verdade.

Tente entender também se, como você diz, ela gosta tanto assim de você pelas suas características pessoais ou se sentiu em você uma pessoa sensível que poderia funcionar como tábua de salvação para as angústias pessoais dela.

Em seguida, esclareça melhor essa história da doença dela. Em geral, uma pessoa que tem câncer no colo do útero, ou opera e tira o útero ou acompanha e trata. Se ela trata, pode estar curada. Se não estiver curada depois de quatro anos, não fica claro o que está acontecendo. Para o seu conforto, e não para a sua tomada de decisão, esclareça esse ponto.

Finalmente, com relação a tomar uma decisão tão delicada, entenda que a relação amorosa bem-sucedida depende, em geral, da boa vontade das duas pessoas envolvidas. Se ela quer e você não, mesmo se optar por ficar com ela, é difícil prever como essa relação pode evoluir. É mais fácil uma relação dar certo quando ambos querem ficar juntos.

Existem, no entanto, vários casos de casais que começaram a relação envolvidos em níveis diferentes e que, com o passar do tempo, acabaram se dando muito bem no cotidiano. Casais em que um dos envolvidos sacrificou a paixão e ganhou o amor.

Para finalizar, leve em conta que essa decisão é só sua com todos os riscos que ela envolve. Se resolver ficar, não fique apenas por pena, por dó. As pessoas podem ser ajudadas de várias formas e, com certeza, mesmo que você decida terminar o relacionamento, sua namorada encontrará um modo de continuar batalhando como ela já faz há bastante tempo.

ATENÇÃO: As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

Você toparia ter um relacionamento de “amizade com benefícios”? Tratam-se de amigos que se tornam parceiros sexuais sem deixar isso interferir na amizade; o termo vem da expressão 'friends with benefits'.





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.