DESTAQUES

Minha filha não se relaciona bem com o padrasto. O que fazer?

Blenda de Oliveira 01/01/2016 PSICOLOGIA
Os filhos precisam amadurecer para compreender as opções dos pais

por Blenda de Oliveira

"Ela tem 16 anos e foi embora para a casa do pai"

Resposta: O mais importante aqui é que você não perca o contato com ela.

Não dê tanta importância ao fato de ela ter ido para casa do pai, claro supondo que ela se dá bem com ele. Preocupe-se em estar aberta para ela, em manter o permanente diálogo.

Talvez a distância propicie uma melhor avaliação tanto para sua filha como para o seu atual companheiro. Às vezes a proximidade gera uma zona de atrito maior quando há pouca disponibilidade de entendimento. Separar-se pode fazer com que os desentendimentos diminuam e que cada um tenha a possibilidade de enxergar a situação sob outra perspectiva.

A separação dos espaços não é o mais importante, pois ela é quase maior de idade, entretanto procure manter a proximidade com sua filha: convide-a sempre para almoçar ou jantar na sua casa, saia com ela, divirtam-se, mas não deixe que a situação dela com o padrasto mude a qualidade da relação de vocês.

Os filhos precisam amadurecer para compreender as opções que os pais fazem, mesmo que optem em permanecer em outro espaço. Deixe um pouco de lado o assunto do padrasto e reforce a relação de vocês.

Em resumo:

- Separação de espaços entre mãe e filha nessa faixa etária não é o mais importante;

- Mas é preciso manter a proximidade com a filha através de almoços, jantares e saídas;

- Conflito entre filha e padrasto não deve influenciar na qualidade da relação entre mãe e filha.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga e psicanalista Blenda de Oliveira responderá dúvidas e perguntas sobre conflitos familiares e entre pais e filhos. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Blenda de Oliveira

Doutora em psicologia clínica pela PUC-SP. Psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP). Psicoterapeuta de adultos, adolescentes, crianças, famílias e casais. Atuante como Life Coaching em diversas áreas, utilizando essa metodologia para colaborar nos processos de sucessão familiar nas empresas.



ENQUETE

As redes sociais te deixam mal? Já pensou em abandoná-las?








VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.