DESTAQUES

Lazer obsessivo e obrigatório nos afasta do milagre da vida

Luiz Alberto Py 01/01/2016 PSICOLOGIA
Artistas são capazes de transmitir percepção de coisas transcendentais

por Luiz Alberto Py  

Existem ocasiões na vida em que é possível sentir a existência de alguma coisa que nos transcende, maior que nós. Einstein disse certa vez: "Admiro o Espírito Superior que se revela através de detalhes sutis que podemos perceber com nossa frágil mente".

Esses momentos especiais - epifanias - ocorrem principalmente em situações de proximidade com a natureza, numa praia deserta ou no meio do mato, olhando um pôr-do-sol ou o clarão da lua cheia. Ou ainda no contato com obras de arte: lendo uma poesia, ouvindo uma canção ou um trecho de um concerto, apreciando um quadro ou uma bela construção. Os artistas são capazes de nos transmitir a percepção de coisas transcendentais.

Para poder desfrutar com mais frequência desses instantes, é necessário estar atento e sensível ao que se passa ao redor. Costumamos viver atordoados pelos compromissos e nas poucas horas de folga tornamos nosso lazer obsessivo e obrigatório. Assim, não sobra vagar para se apreciar os pequenos milagres que ocorrem à nossa volta. Quando nos oferecemos tempo para saborear a cada instante o milagre da vida, nos damos conta do mundo mágico em que vivemos e tudo o que nossos sentidos percebem passa a ter mais brilho e mais vigor.




Luiz Alberto Py

É médico psiquiatra e psicanalista. Clinica no Rio de Janeiro e faz palestras por todo o Brasil. Publicou em 2002 o best-seller "Olhar acima do horizonte", em 2004: "A felicidade é aqui" e "Saber amar" todos pela editora Rocco. Mais informações: http://doutorpy.blogspot.com



ENQUETE

Suas relações amorosas duram?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.