DESTAQUES

Acupuntura para combater dor nos ombros

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
Quem aplica deve ter formação em Acupuntura Tradicional Chinesa

por Gilberto Coutinho

Como o próprio nome sugere, a periartrite do ombro consiste numa inflamação que afeta os tecidos ao redor dessa articulação (bolsas serosas, tendões e ligamentos). Na maioria das vezes, provoca dores intensas, que não melhoram com o repouso, e limita os movimentos do braço.

Na fase inicial, um ou ambos os ombros podem ser afetados por dor difusa que, às vezes, irradia-se para o braço até o cotovelo e/ou pescoço. A dor pode diminuir durante o dia e agravar-se à noite. A manifestação da dor dificulta os movimentos de abdução (afastamento do membro superior do eixo mediano do corpo) e de alongamento do membro superior, o que acarreta dificuldades tais como: a execução de diversas tarefas, a prática de esportes, o ato de despir-se e pentear-se, etc. À medida que a afecção (doença) evolui, podem ocorrer transtornos funcionais graves que afetam o membro superior.

Dormir sempre sobre o mesmo ombro pode agravar tal quadro e predispor à periartrite dessa articulação, pois a compressão do corpo sobre o ombro durante várias horas contribui para dificultar a circulação do sangue, da bioenergia e a nutrição dos tecidos.

Muitas vezes, as alterações teciduais que acometem as estruturas moles ao redor da articulação do ombro são também de natureza degenerativa e não apenas inflamatória.

À medida que se torna crônico, o processo inflamatório contribui para o desenvolvimento de aderências e calcificações que afetam os tecidos moles: inserções tendinosas, *bursas **sinoviais, etc.

Em geral, o tendão do músculo supra-espinhoso (responsável pela elevação do braço), a bursa subacromial e o tendão do músculo bíceps braquial (responsável pela flexão do antebraço) são as estruturas mais afetadas na periartrite do ombro.

É mais frequente na mulher do que no homem, e a ocorrência dá-se a partir dos 35 anos de idade. Na China, o distúrbio é conhecido como “ombro invadido pelo vento frio” ou “ombro cinquentão”, por manifestar-se próximo aos 50 anos de idade.

Dentre outras afecções que fazem parte da periartrite do ombro, encontram-se: a tendinite do músculo supra-espinhoso, a tenossinovite bicipital (inflamação do tendão do músculo bíceps e de sua bainha sinovial), a bursite subacromial (inflamação aguda ou crônica da bolsa serosa localizada sob o acrômio, extremidade da espinha da omoplata), etc.

Nos quadros mais graves, podem ocorrer rupturas parciais ou totais de tendões e ligamentos. É comum o desenvolvimento de aderências entre tendões, ligamentos, cápsulas sinoviais e ossos, o que muito limita a movimentação do braço e a amplitude do movimento articular.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a periartrite do ombro é causada por: estagnação da bioenergia (tchi) e do sangue (xue); má nutrição dos tecidos moles ao redor da articulação do ombro; invasão de fatores patogênicos exógenos (umidade, vento e vento-frio) que afeta tecidos, canais e colaterais de energia; dano tecidual provocado pelo cansaço e esforço físico repetitivo; traumatismos e luxações recidivantes do ombro; vida sedentária; e envelhecimento.

A dor no ombro (ombralgia) também se manifesta na miotenosite supra-espinhal (inflamação do músculo e de seu tendão), na bursite infra-acromial e na tenossinovite do tendão do músculo bíceps braquial.

Terapêutica

O tratamento indicado deve ser aplicado por um profissional experiente e com formação em “Acupuntura Tradicional Chinesa”. Somente deve-se fazer uso de remédios e medicamentos sob a orientação e a prescrição terapêuticas. Deve-se combater a automedicação.

Massagem Tui Na

O tratamento com massagem e exercícios para o ombro visam a ativar a circulação da bioenergia e do sangue, a lubrificar a articulação, à eliminação das aderências e dos fatores patogênicos exógenos, ao fortalecimento dos tecidos moles articulares e ao combate da obstrução dos canais e colaterais.

Acupuntura sistêmica e auricular

O tratamento é muito efetivo, visa a ativar a circulação da bioenergia e do sangue, ao combate da obstrução dos canais e dos colaterais, à dispersão do vento, à eliminação do frio e à drenagem da umidade.

Moxabustão (Jiu Fa):

Em caso de invasão de frio patogênico, aplicar moxaterapia à agulha (5 cones de tamanho grande).

Fitoterapia

Remédios botânicos: Uncaria tomentosa (Unha-de-gato), apresenta propriedades antiinflamatórias, antialérgicas, cicatrizantes em doenças gastroduodenais, antitumorais, antibacterianas e antivirais; é indicada no combate de processos inflamatórios músculo-articulares, como tendinite, osteoartrite, bursite, artrite reumatóide (reumatismo) etc.; Harpagophytum procumbens (Garra-do-diabo), apresenta ação analgésica e antiinflamatória, é utilizado no combate da artrite, da artrose, do reumatismo e da gota.

*bursa: bolsa ou cavidade em forma de bolsa que contém líquido viscoso: Dicionário Aurélio

** relativo à sinovia: humor transparente e viscoso que lubrifica as articulações e que é secretado pela membrana sinovial




Redação Vya Estelar



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.