DESTAQUES

Maioria dos homens é de fato infiel?

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Fracasso amoroso e traição são de certa forma independentes

por Anette Lewin

"Quero te parabenizar pela maneira clara como responde aos leitores e perguntar se no mundo atual é possível que exista algum homem fiel, que esteja a fim de algo sério e que seja realmente comprometido com sua parceira?"

Resposta: A fidelidade é uma questão muito complexa para ser reduzida a um simples "existe ou não existe".

Certamente a maioria das relações amorosas envolve algum nível de "traição" em algum momento de sua história. Tanto por parte de homens quanto de mulheres.

Afinal, ninguém compartilha todas as suas vivências emocionais com alguém, não é? Nem as vivências sexuais, mesmo que estejam no nível da fantasia.

Se as mulheres acreditam que o homem fiel não existe, como diz nossa internauta, nem por isso deixam de procurá-lo como quem procura agulhas no palheiro. Só que pessoas são seres em transformação e ninguém garante que o "fiel" por vocação não se transformará em infiel por ocasião e vice-versa. Assim, talvez valha a pena mudar a questão cartesiana do "existe ou não existe o homem "fiel" para algo mais amplo como: é possivel construir uma relação baseada na honestidade, no companheirismo e na cumplicidade? Ou: existem relacionamentos felizes? Ou ainda: homens e mulheres podem conviver maritalmente em harmonia durante muito tempo?

Esse tipo de questão talvez responda melhor à duvida de nossa internauta do que a pergunta "existem homens fiéis", cuja resposta não iria além de um simples: "existem sim, poucos". Por uma série de motivos biológicos, antropológicos, sociológicos ou psicológicos já discutidos em outras ocasiões.

Quanto a homens que desejam um relacionamento sério e sejam comprometidos com suas parceiras, existem sim: vários. Mas para que o compromisso se sustente, é necessário que haja um esforço de ambas as partes; para que um homem queira um compromisso sério, é necessário que a candidata à parceira também tenha noções do que seja um compromisso sério. E entenda que, em relacionamento, quase tudo o que se recebe é reflexo do que se dá. Qualquer relacionamento onde exista o comprometimento de ambas as partes tem chance de dar certo. E não basta querer que dê certo. É necessário agir para que dê certo.

Por que os relacionamentos fracassam?

O grande motivo do fracasso nos relacionamentos amorosos não é a traição sexual. E a traição sexual não é decorrente apenas de um relacionamento que não está dando certo. Fracasso amoroso e traição são, de certa forma, independentes, por mais que se queira vincular, exclusivamente, um ao outro.

Relacionamentos fracassam por:

- falta de cuidado;

- por crenças errôneas de que uma relação se sustenta apenas pelo desejo teórico de que ela se sustente;

- e principalmente por egoísmo.

As pessoas querem estar casadas e continuar usufruindo das benesses da vida de solteiro sem terem que fazer concessões. Isso não existe. Companhia amorosa tem um preço e quem quiser usufruir dela tem que estar disposto a arcar com esse ônus. Essa é a realidade. Abrir mão do "eu" pelo "nós" não pertence ao âmbito dos instintos. Pelo menos não por um longo prazo. Pertence ao âmbito das resoluções conscientes. Assim, a chance de homens e mulheres se sentirem traídos no casamento está diretamente ligada ao esforço empenhado no entendimento desse compromisso amoroso.

Quem medir causa/consequência, avaliar o que dá e o que recebe, colocar-se no lugar do outro, souber dividir privilégios e responsabilizar-se pelos seus acertos e seus erros dificilmente se sentirá traído.

Aquele que se casar por casar, sem pensar e sem medir consequências, em algum momento sentirá que levou gato por lebre.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos: 1º formato: responder as perguntas enviadas pelos leitores. 2º) formato: de A a Z, explicar através de uma palavra em específico (verbete) o significado do que sentimos ao amar. Esta palavra será extraída de um e-mail enviado pelo leitor a esta coluna. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.