DESTAQUES

Cabelos: o que há para o alisamento saudável

Sonia Corazza 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Sonia Corazza

Não há dúvida de que qualquer tratamento químico dos cabelos é danoso à estrutura natural.

E que certamente vai acontecer a perda do brilho, textura e resistência originais. Mas desde que o mundo é mundo, não há ninguém satisfeito com o que tem.

No Brasil a procura pelo cabelo liso, comprido e escorrido é quase uma obsessão.

Alisamento convencional - por dentro da química

No alisamento convencional do fio de cabelo a cisteína, que é um aminoácido comum no fio, pode interagir com outra cisteína e formar uma ligação química chamada de covalente. Essas ligações são responsáveis pelas "ondas" que aparecem em nossos cabelos. A possibilidade da interconversão entre as formas oxidadas e reduzidas da cisteína é que permite ao cabeleireiro "moldar" o seu cabelo, ou seja, alisar um cabelo crespo, ou fazer "cachos" e "ondas" em um cabelo liso.

A primeira etapa do tratamento químico de alisamento consiste na redução de todos os grupos de cisteína. Isto se faz geralmente com a aplicação do ácido tioglicólico (também conhecido como ácido 2-mercaptoacético) em uma solução de amônia (pH 9), chamada de “solução relaxante”. Esta solução reduz os grupos de cisteína, quebrando a resistência do fio.

Após lavar o cabelo com a solução de ácido tioglicólico e enrolar ou esticar o cabelo, o cabeleireiro oxida os grupos da cisteína reduzida, com a aplicação de um agente oxidante, tal como o peróxido de hidrogênio (H2O2, água oxigenada) ou borato de sódio (NaBrO3), a solução "neutralizante".

Claro que se trata de um trabalho bastante agressivo à estrutura natural do fio de cabelo!

Inovação menos agressiva

No caso das novas fórmulas de creme alisante a inovação está já na primeira etapa, com a redução de todos os grupos de cisteína com tioglicolato de amônia num pH entre 7 e 9, muito menos agressivo do que o que acontece normalmente. Na segunda etapa, a oxidação de todos os grupos de cisteína é feita com peróxido de hidrogênio em base super-hidratante. Com isso a agressão também é minimizada.

O resultado é um cabelo alisado com saúde, brilho e maciez mantidos.

Ingredientes especiais

Tais fórmulas são enriquecidas com estes ingredientes benéficos:

Cera de abelhas

É um agente filmógeno (forma um filme protetor natural ou camada protetora nos fios de cabelo), obtido a partir da purificação da colmeia das abelhas (apis mellifera linné), evitando a ação demasiadamente agressiva do agente alcalinizante.

Proteína de trigo hidrolisada

Protege a rede de aminoácidos do cabelo. Tem um papel fundamental na coesão das células de queratina melhorando a resistência do fio.

Vale tentar!




Sonia Corazza

É engenheira química especializada em Cosmetologia. Tem 25 anos de experiência como formuladora de cosméticos. Atuou em empresas líderes no setor. É autora do livro Beleza Inteligente (Madras). Mais informações: www.belezainteligente.com.br



ENQUETE

Atração física não basta, tem que haver atração mental. Você concorda?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.