DESTAQUES

Transformar desejos em resultados pode ser divertido!

Dulce Magalhães 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Tarefa de viver pode ser uma experiência lúdica

por Dulce Magalhães

Algo para pensarmos sobre o campo de nossos sonhos: será que eles servem para nos inspirar ou para nos consolar?

Nossos desejos são o cenário interno que criamos sobre a vida que aspiramos experimentar. São a fonte de onde tiramos a energia para agir, aprender, mudar, recomeçar, conquistar... Enfim, fazer a vida acontecer para além dos limites em que estamos contidos.

Um desejo é a primeira fase de um plano, ainda não é um objetivo, mas é a base onde estabelecemos nossos propósitos. Quanto mais importante for o desejo, mais motivação estabelece para tomarmos atitudes e desenvolvermos um plano para sua conquista. Quando estamos esvaziados de desejos, não sabemos o que queremos, não identificamos nada que nos inspire, isso também significa um estado de latência, uma dificuldade de mover-se em direção a qualquer destino, por falta de visão. De fato o desejo é a expressão de nossa visão interna, de nossos intuitos em termos de vida.

Buda ensina que todo desejo é fonte de sofrimento - lembrando que sofrer é "passar por". De fato, o desejo vai nos guiar e pode nos aprisionar, se não for bem gerenciado, se lidarmos não como um valor, dentro de nossa visão individual de princípios e valores, mas sim como algo a ser conquistado a qualquer preço, às vezes até ao preço da saúde ou da paz de espírito. Há que trilhar o caminho do equilíbrio, inclusive em relação aos desejos.

O extremo oposto do desejo é a depressão, a ausência absoluta de vontade, de propósitos. Já seu auge é a realização, a concretização do desejo. Isso significa uma nova condição de vida, estar em outro patamar, superar um limite, alcançar um propósito, realizar um valor. Assim, um desejo é o ponto de partida de toda realização.

Porém, um desejo, ou sonho, não tem nenhum impacto sobre nossa trajetória de resultados, se é usado como um consolo para suportarmos uma realidade indesejada. Quando sonhamos com outra vida para poder "fugir" por instantes do tédio, da dificuldade ou até mesmo da violência da vida em curso, mas sem que isso gere qualquer ação, é apenas fonte de apoio emocional, onde construímos uma possibilidade mais interessante que viveremos em algum ponto do futuro.

É preciso não se deixar aprisionar pelo cenário radiante dos sonhos, dos desejos mais preciosos e colocar isso como motor para novas atitudes, ações e resultados. É tão agradável sonhar que, por vezes, podemos nos limitar a ficar na esfera dos sonhos ao invés de colocá-los em prática. O mais divertido é transformar nossos desejos em resultados, isso sim que faz a tarefa da vida uma experiência lúdica e pródiga.

Comece definindo propósitos para seus desejos e sonhos. Estabeleça passos e procedimentos e vá fazendo, um a um, compreendendo que qualquer simples ação já é por si um resultado. Reflita como seus desejos estão inspirando suas atitudes e faça mais do que mais quer fazer. Suerte!




Dulce Magalhães

Ph.D. em Filosofia com foco em Planejamento de Carreira pela Universidade Columbia (USA); Mestre em Comunicação Empresarial pela Universidade de Londres (Inglaterra); autora dos livros: O foco define a sorte; Manual da Disciplina para Indisciplinados; Superdicas para Administrar o Tempo e Aproveitar Melhor a Vida. Especialização em Educação de Adultos pelas Universidades de Roma (Itália) e Oxford (Inglaterra).



ENQUETE

Você ama em conta-gotas?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.