DESTAQUES

Depende do dinheiro do marido e ele reclama? Saiba lidar com a situação

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Para alguns dinheiro pode até comprar a submissão do cônjuge

por Anette Lewin

"Sou dependente financeiramente do meu marido e ele se acha o todo-poderoso e joga na minha cara: pago suas contas, etc. Como devo me comportar no momento?"

Resposta: Primeiramente é necessário você se perguntar como a situação de cobrança começou. Provavelmente, quando vocês resolveram morar juntos, o assunto foi abordado e vocês combinaram algumas coisas, não é? Relembre qual foi esse acordo: ele trabalharia e você cuidaria da casa? Os dois trabalhariam? Ele sustentaria a casa até você arrumar um emprego? Como você percebe, essa cobrança pode ser justa, se vocês combinaram algo que você não está cumprindo. Ou injusta, se vocês combinaram, por exemplo, que seu trabalho seria cuidar da casa (e dos filhos se você os tem) e ele sustentaria a familia , e você vem fazendo isso de maneira eficaz.

Se o trato de vocês foi ambos trabalharem e você não está trabalhando, o melhor seria você pensar em tentar arranjar um trabalho o mais cedo possível. Além de dar a você mais liberdade, certamente ajudaria a melhorar sua autoestima e consequentemente levaria a uma maior consideração por parte dele. Se porém, vocês combinaram que só ele trabalharia, talvez você esteja passando a ele uma sensação de que apenas aproveita do conforto que ele proporciona e não faz sua parte. Nesse sentido vale uma conversa onde você poderá expor seu ponto de vista sobre o que faz para colaborar com a vida em comum: trabalho de casa, cuidado e apoio afetivo para ele, etc.

Caso vocês nada combinaram explicitamente e a situação foi acontecendo sem planejamento, está na hora de definir qual a colaboração que cada um trará ao casamento. Lembre-se que na sociedade em que vivemos o poder do dinheiro é muito grande e, por essa razão, quem o tem nas mãos às vezes acredita que pode "comprar" com ele o que quiser, inclusive a submissão do cônjuge.

Como você pode perceber o equilíbrio na vida a dois depende da sensação de igualdade participativa por ambos. Não necessariamente trazendo dinheiro, mas trazendo algum esforço pelo bem-estar comum. Como essa sensação é extremamente subjetiva, é importante que se converse sobre ela de tempos em tempos.

Da próxima vez que você ouvir "pago suas contas", tente encontrar algum argumento que a faz digna de ter suas contas pagas por ele. Se não encontrar... está na hora de alguma mudança no seu comportamento no sentido de se tornar mais colaborativa na relação. Ou de aceitar a submissão como moeda de troca.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos: 1º formato: responder as perguntas enviadas pelos leitores. 2º) formato: de A a Z, explicar através de uma palavra em específico (verbete) o significado do que sentimos ao amar. Esta palavra será extraída de um e-mail enviado pelo leitor a esta coluna. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

Você busca a tranquilidade ao acordar?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.