DESTAQUES

Aceitar os pais como eles são nos dá força para seguir adiante

Saulo Fong 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Deveríamos ter legítima gratidão pelos pais nos terem dado a vida

por Saulo Fong

O sentimento de carência emocional ou afetiva pode eventualmente afetar a todos nós.

Pessoas ao nosso redor como amigos, parceiros ou filhos podem momentaneamente suprir essa carência, porém existe uma fonte inesgotável de força que pode transformar esse sentimento em qualquer momento e lugar. Trata-se da conexão com nossos antepassados, ou seja, com a verdadeira fonte de nossa vida.

Cada um de nós está vivo hoje porque houve o encontro de nossos pais. E cada um deles pôde existir porque houve o encontro de nossos avós. E assim aconteceu de geração atrás de geração. Se fosse possível seguir essa linhagem, encontraríamos a verdadeira fonte da Vida. Dessa forma, nós também estamos conectados à essa fonte de vida através de todos nossos antepassados.

O sentimento de carência surge geralmente da falta de consciência e aceitação de algum desses antepassados. Ao excluir, principalmente, o pai ou a mãe de nossos corações podemos perder parte dessa força interna que faz com que possamos caminhar adiante em nossas vidas.

O caminho da aceitação dos pais e dos antepassados pode parecer simples, mas nem sempre é fácil. Isso acontece principalmente por causa das comparações, julgamentos, idealizações e expectativas daquilo que acreditamos como nossos pais deveriam ser ou fazer. Trata-se de uma questão de ordem.

Os pais foram as pessoas que nos deram a Vida, assim somente quando realmente tivermos consciência e aceitação deste fato, poderemos sentir uma legítima gratidão por eles. Sentimento esse que nos dará forças para seguir adiante em qualquer caminho que escolhermos.




Saulo Fong

Master Coach e Terapeuta Transpessoal do Instituto União em São Paulo. Especialista em integração mente-corpo, meditação e relacionamentos humanos.Trainer em PNL (Programação Neurolinguística) com formação em Hipnoterapia, Constelações Sistêmicas Familiares e Organizacionais, Renascimento e Medicina Psicobiológica. É instrutor faixa-preta 3º Grau de Aikido e praticante de Kendo (2º Dan). Ministra cursos, treinamentos e workshops na área de desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e relacionamentos humanos. Mais informações: www.comomeditar.com.br



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.