DESTAQUES

Câncer de mama: mulheres que ingerem álcool correm mais riscos, conclui estudo

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
É indiferente ser vinho, destilado ou cerveja

Da Redação

O álcool pode potencializar os riscos para câncer de mama. Isso é o que concluiu estudo realizado na Universidade de Chicago, nos Estados Unidos. A pesquisa mostrou que o álcool pode aumentar os níveis de estrogênio que, por sua vez, estimulam o desenvolvimento de tumores que reagem a hormônios – o que, na prática, significa 70% dos cânceres de mama.

O incremento nos riscos pode alcançar 51%, no caso de mulheres que fazem ingestão de três ou mais doses de álcool por dia. Aquelas que bebem uma ou duas doses têm 32% a mais de chance de desenvolver a patologia. A pesquisa analisou informações sobre o consumo de álcool de cerca de 185 mil mulheres na fase pós-menopausa durante um período de sete anos.

Ligação Perigosa

A conexão entre álcool e câncer não é de hoje. Estudos epidemiológicos já forneceram evidências definitivas de que beber é uma forma de ameaçar a longevidade. “A maior pesquisa já realizada detectou que o risco de câncer em geral cresce com o consumo de 3 doses por dia e alcança incremento de 60% quando o indivíduo bebe 6 ou mais doses”, destaca o oncologista Murilo Buso.

Tipo de bebida

Cerveja, vinho ou destilado - É indiferente, pois pesquisadores defendem que o etanol é o agente agressor. “Vale ressaltar que o uso combinado de álcool e tabaco potencializa o risco”, adverte. As principais associações álcool-câncer estão ligadas aos seguintes cânceres: boca, faringe, esôfago, laringe e agora mama.

Além de agente causal de cirrose hepática, em interação com outros fatores - como, por exemplo, o vírus da hepatite B, o álcool está relacionado entre 2-4% das mortes por câncer. “O conselho para as pessoas que optarem por beber é que o façam eventualmente. O limite máximo estabelecido é de dois drinques por dia para homens e um para mulheres. Mulheres grávidas, crianças e adolescentes não devem ingerir bebida alcoólica”, orienta o médico.

Como o álcool age no organismo?

O álcool é presença certa na vida social dos brasileiros. Por essa razão, é imprescindível destacar que o consumo excessivo está relacionado a várias doenças. O uso moderado de bebidas alcoólicas é um passo importante para quem busca viver muito e bem. Seus efeitos variam de acordo com a rapidez e a freqüência com que é ingerido, com a quantidade de alimentos consumidos durante a ingestão de bebidas alcoólicas, com o peso da pessoa, seu estado de espírito, entre outros aspectos.

Contudo, por atingir rapidamente o sistema nervoso central, invariavelmente provoca diminuição da coordenação motora, redução dos reflexos e a alterações de comportamento, que vão da desinibição à agressividade. Uma parcela de álcool introduzida no organismo é absorvida pela mucosa da boca. A maioria, porém, é absorvida pelo estômago e pelo intestino delgado e daí vai para circulação sangüínea. Aproximadamente 90% da absorção se dá em 1 hora. Porém, o mesmo não ocorre com a eliminação, que demora de 6 a 8 horas e é feita através do fígado (90%), da respiração (8%) e da transpiração (2%).




Redação Vya Estelar



ENQUETE

Qual é o verdadeiro mês das noivas?








VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.