DESTAQUES

Viver sem dor? Que tal?

Redação Vya Estelar 17/05/2019 COMPORTAMENTO
Viver sem dor? Que tal?
Fonte: imagem Youtube do filme ‘Painless’, dirigido por Jordan Horowitz
Filme comprova que toda percepção é ilusória. Assim... o sonho de viver sem dor pode se transformar em pesadelo

Por Oscar D’Ambrosio

Imagine uma pessoa que não sente nenhuma dor física, seja a queimadura na língua por um café muito quente ou um corte em um acidente com uma faca de cozinha. A situação, aparentemente bizarra, é a sustentação do interessante filme ‘Painless’, dirigido por Jordan Horowitz (2018/EUA).

O protagonista vive obcecado pela possibilidade e encontrar o motivo dessa anomalia e, é claro, a cura.  Envolve-se com cientistas honestos e não tanto, assim como com usuários e traficantes de drogas. Mas o que muda a sua vida é conhecer o amor, representado pela carismática atriz Evalena Marie.

Outras possibilidades de vivenciar a existência  

Essa relação não é uma paixão infantil, mas uma ‘distração’ em sua meta de cura que o faz conhecer outras possibilidades de vivenciar a existência, inclusive pensando em ajudar crianças que sofrem desse ou de outros males semelhantes. Em última, análise o aceitar-se diferente o faz se aproximar do mundo.

Viver sem dor, que poderia parecer uma benção, é tratado como uma maldição. E a procura por maneiras de se livrar dela não conduz inicialmente a uma redenção, mas a um mergulho num inferno de dores psicológicas e de frustração, talvez muito pior do que a questão meramente física. O discutir esses diferentes tipos de dores, da causada por uma simples queda à gerada pela derrota da ciência e da tecnologia ao lidar com o diferente, já torna o filme imprescindível.

Fonte: Oscar D’Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

 




TAGS :

    dor

Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.