DESTAQUES

Oniomania: entenda esse transtorno

Soraya Rodrigues de Aragão 27/03/2019 PSICOLOGIA
Oniomania: entenda  esse transtorno
Fonte: imagem Pixabay
Oniomania: sintoma de uma sociedade descartável

Por Soraya Rodrigues de Aragão

Este texto objetiva elucidar a população do que se trata a Oniomania, bem como oferecer recursos e estratégias de enfrentamento para lidar com esse distúrbio, de modo a dirimir o sofrimento e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida de quem sofre desse transtorno.

O que é oniomania?

Oniomania é o impulso incontrolável de comprar algo que não apresenta real necessidade, onde a pessoa não dispõe de recursos financeiros ou que esse supere seu orçamento para efetuar o pagamento dessas dívidas, dificultando ou mesmo prejudicando seus compromissos, sua qualidade de vida, bem como a de terceiros. Vale a pena salientar que, no caso em que a pessoa mesmo tendo condições financeiras, mas não controla o impulso de comprar, abarrotando-se de objetos que não sabe sequer quando (e se) vai usar, também pode sofrer de oniomania, pois a característica central do transtorno não é a condição socioeconômica, e sim a dificuldade ou mesmo incapacidade de controlar este mesmo impulso.

A oniomania ou Transtorno do comprador compulsivo tem acometido cada vez mais pessoas em todo o mundo, chamando atenção da Organização Mundial de Saúde diante das estatísticas cada vez mais alarmantes.

Sintomas da oniomania

Observamos como sintomas característicos, “o comprar pelo prazer de comprar”, não havendo necessidade nem funcionalidade de uso do objeto, sendo muito comum a compra do mesmo de cores diversificadas ou em número excessivo, com o intuito de usá-lo posteriormente.

Quanto à sintomatologia de abstinência, podemos enumerar em casos mais brandos a irritabilidade, e em casos extremos ou patológicos, a sudorese, a dispneia (falta de ar) e o impulso incontrolável para a compra. Neste último caso, a oniomania não se diferencia dos sintomas característicos da síndrome de abstinência de drogas como cigarro e álcool, bem como dos jogos patológicos e da nomofobia (vício a smartphones, tablets e computadores). Sendo assim, o ato de comprar se torna distúrbio quando a pessoa tem pensamentos intrusivos que somente serão aliviados quando a pessoa efetua o ato de comprar, trazendo prejuízos econômicos, sociais e relacionais.

Transtorno obsessivo compulsivo e oniomania

A oniomania apresenta muitas características em comum com o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), tais como o acúmulo de objetos, as obsessões (pensamentos intrusivos), a compulsividade para aliviar a ansiedade provocada pelas obsessões, bem como o sentimento de culpa após efetuar o ato da compra. No entanto, se diferencia do TOC, visto que os oniomaníacos apresentam apenas o ritual de comprar, mas não os rituais de verificação, limpeza, simetria no posicionamentos de objetos por exemplo, superstição, dentre outros sintomas que caracterizam o TOC. No entanto, isso não implica que a compulsão por compras não possa estar presente como *comorbidade no Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Assim como em qualquer transtorno, existem questões subjacentes de cunho psicológico que são deflagradores preditivos de comportamentos de adicção (vício) os quais se configuram como mecanismos de defesa para lidar com a carência afetivo-emocional, a baixa autoestima, a necessidade de autoaceitação, de inclusão social e o vazio existencial que norteiam nossa atual sociedade hedonista, descartável e imediatista. É necessário rever os valores que direcionam nossa vida, para nos conscientizarmos do que de fato é importante para mantermos nossa tranquilidade e paz de espírito, apesar dos condicionamentos e apelos da mídia e do marketing.

Como lidar com a oniomania

O primeiro passo para a cura é a autoaceitação. Procurar se autoperceber, se avaliar, se autoquestionar sobre suas reais necessidades. Neste caso, procurar compreender qual a função do comportamento de compra na vida do indivíduo, que vazio emocional está tentando preencher, quais conflitos existenciais está tentando anestesiar através da obtenção de objetos pessoais. Sendo assim, é necessário compreender o que existe por trás do desejo irracional por comprar, para quê.

A ajuda de um psicólogo pode contribuir na elaboração de comportamentos mais saudáveis. Torna-se necessário que o indivíduo saiba administrar o que lhe proporciona prazer e bem- estar, de modo que estes não se configurem posteriormente como uma dependência.

Caso tenha se identificado com o artigo e acredite que necessite de ajuda profissional, uma ótima recomendação é a psicoterapia e grupos de apoio. Neste caso, o grupo dos devedores anônimos (DA), pode trazer muitos benefícios para quem sofre de compulsão por compras:  http://www.devedoresanonimos-sp.com.br/site

* Comorbidade é a existência de duas ou mais doenças em simultâneo na mesma pessoa.




TAGS :

    oniomania. compulsão, vício, transtornos

Soraya Rodrigues de Aragão

Soraya Rodrigues de Aragão é Psicóloga, Psicotraumatologista, Expert em Medicina Psicossomática e Psicologia da Saúde. Escritora e palestrante. Conselheira terapêutica em violência entre parceiros íntimos. Pesquisadora em Transtornos de Ansiedade e Especialista em Transtorno de Pânico. Autora dos livros: "Fechamento de ciclo e renascimento"; "Supere desilusões amorosas e pertença a si mesmo"; " Liberte-se do Pânico e viva sem medo!" www.sorayapsicologa.com, www.alquimiadavida.org



ENQUETE

Suas relações amorosas duram?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.