DESTAQUES

Autossuperação: filme “Extraordinário” traz preciosa lição de vida

Redação Vya Estelar 19/03/2018 SAÚDE E BEM-ESTAR
Autossuperação: filme “Extraordinário” traz preciosa lição de vida
Fonte: imagem Youtube
Neste último final de semana, o projeto Cine Ceu, Prefeitura de Juiz de Fora, exibiu o filme gratuitamente para a população

Da Redação

No início do ano, Vya Estelar publicou uma série de quatro posts e um artigo sobre o filme “Extraordinário”, Direção: Stephen Chbosky (2017).

TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



A película põe em evidência mundial uma síndrome rara que compromete os ossos da face chamada de “Síndrome de Treacher Collins”. O filme traz a atriz Julia Roberts no elenco.   

Ciência e ficção

A série de quatro posts publicados no Vya Estelar é referente ao trabalho bem-sucedido, desenvolvido no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP, em Bauru.

Em novembro de 2017, o HRAC recebeu o biólogo norte-americano Francis Smith, nascido com a síndrome e autor do prefácio da nova edição do livro que originou o filme. A obra, de R. J. Palacio, conta a história de August Pullman, o Auggie, uma criança nascida com Síndrome de Treacher Collins que passou por diversas cirurgias e complicações médicas na infância.

Educado em casa até os dez anos, pela primeira vez ele irá frequentar uma escola regular e precisará se esforçar para conseguir se encaixar em sua nova realidade.

Francis Smith é pós-doutorando da University of Colorado School of Dental Medicine, dos Estados Unidos, com especial interesse em anomalias craniofaciais. Ele realiza análises do genoma de tecidos embrionários e do formato da face utilizando técnicas especializadas.

 “Nessa visita ao Centrinho, finalmente conheci novos colegas de pesquisa na área de anomalias craniofaciais (professoras Ivy Suedam e Inge Trindade), assim como colegas na área de cirurgia craniofacial, odontologia e outras especialidades. Gostei muito de auxiliar a professora Ivy em sua pesquisa na qual medimos as vias aéreas superiores de pacientes com Síndrome de Treacher Collins”, afirma Smith.

“A primeira vez que ouvi sobre o Centrinho foi de um colega da University of Dundee, na Escócia (professor Peter Mossey, membro do Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde-OMS para Anomalias Craniofaciais). Ele me falou sobre esse hospital único dedicado à pesquisa e reabilitação das anomalias craniofaciais e me encorajou a fazer uma visita”, revela.

Lição de vida

A psicóloga Karina Simões escreveu um artigo sobre o filme para o Vya Estelar e opinou: “Como o título mesmo rotula, não tenho outro adjetivo: o filme é mesmo extraordinário!”. Veja um trecho do artigo.

O filme mexe com nossas emoções e desperta nos espectadores um enorme aprendizado na forma de encarar a realidade e de se comportar em sociedade. Ensina-nos, com simplicidade, a beleza e a necessidade urgente de aprendermos a conviver num mundo plural, em que o respeito e a tolerância são necessários. É, pois, uma verdadeira lição da vida moderna.
 
A deficiência de nascença do jovem Auggie (uma deformidade facial), pode ser entendida como qualquer outro tipo de exclusão, hoje em dia, vista em nossa sociedade. Mas o mais relevante é a possibilidade da compreensão da leitura que o filme nos dá, da imensa importância do núcleo familiar acolhedor, uma vez que estão comprometidos uns com os outros. Esse fato ressalta o valor familiar na atual sociedade. Lamentavelmente, o elo familiar se encontra, em muitos lares, com rupturas diversas.
 
A lição fantástica ou “extraordinária” que tiramos é também que os sentimentos ou afetos gerenciados dentro de cada um de nós têm uma repercussão própria. Assim, levarmos em consideração a dor do outro de modo a acolhê-lo e compreendê-lo é sempre o melhor caminho a fim de que afetos positivos possam ser construídos numa geração para que essa se torne realmente extraordinária. Pois, como diz uma das falas do filme, a qual parece ser um clichê, mas a sua prática é de extrema premência: “Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil”.

Serviço:

Para ler a série de quatro posts clique nos seguintes links::

Filme “Extraordinário” retrata síndrome rara tratada na USP
http://www.vyaestelar.com.br/post/10466

Filme "Extraordinário" põe em evidência síndrome rara que compromete ossos da face
http://www.vyaestelar.com.br/post/10467

Entenda a síndrome de Treacher Collins, tema do filme “Extraordinário”
http://www.vyaestelar.com.br/post/10468

Síndrome de Treacher Collins: por que portadores são extraordinários
http://www.vyaestelar.com.br/post/10469

- Para se inscrever no Youtube e assistir ao filme clique aqui:  https://youtu.be/4ZCseuVqWDI

- O projeto “Cine CEU” faz parte da programação cultural do CEU/Zona Norte, mantido pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), sob gestão da Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa), em parceria com a Organização Social Associação Cultural Arte e Vida (Acav).




TAGS :

    filme, extrordinário, sindrome, treacher, collins

Redação Vya Estelar



ENQUETE

Você se sente seguro (a) andando pelas ruas do Brasil?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.